Centro de Documentação e Informação- Cedoc / Funarte

Instituição

Fundação Nacional de Artes – Funarte

Acervo de documentos musicais

Partituras, discos em vinil, CDs, DVDs, fitas magnéticas (rolo), fitas cassetes. Possui acervo digital.

Áreas principais

Todas as áreas da música brasileira, seja erudita ou popular.

Principais coleções / destaques

Gravações do Projeto Pixinguinha,  Bienais de Música Brasileira, Concursos de Bandas, Apresentações da Sala Funarte.

Política de uso e acesso

Consulta local.

Normas para consulta de acervo raro

Deve ser agendado e com supervisão e uso de luvas quando necessário.

Forma de reprodução

Cópias digitais, (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Histórico

O Centro de Documentação e Informação – Cedoc – da FUNARTE tem por missão e objetivo, respectivamente, a salvaguarda e difusão dos acervos representativos da arte e da cultura brasileira, bem como oferecer atendimento e acesso gratuito a todos os cidadãos de forma presencial, ou ainda, através de outros canais de atendimento como telefone e Internet.

Catálogos

Base de dados acessível no local e na web.

Contatos

Rua São José, 50 Centro
Rio de Janeiro-RJ  CEP 20010-020
(21)2279-8294 e 2279-8198
cedoc@funarte.gov.br
ana.saramago@funarte.gov.br

Horário de Atendimento

De segunda a sexta De 10:00 às 17:00

Equipe

Ana Saramago Coordenadora
Joelma Neri Chefe da Biblioteca

Discoteca Oneyda Alvarenga

Instituição

Prefeitura do Municípío de São Paulo

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil (incluindo 78 rpm), CDs, DVDs. Possui acervo digital.

Áreas principais

Música erudita, popular e folclórica, de procedência nacional e estrangeira, disponível para consulta e audição.

Principais coleções / destaques

O acervo reúne a maioria dos discos gravados em 78 rpm no Brasil. Destacam-se, entre outras, as coleções de obras completas de John Sebastian Bach, obras de Cláudio Monteverdi, Coleção de violão Ronoel Simões, dentre outras. O Acervo Histórico guarda documentos, objetos, discos, mobiliários, filmes e fotografias provenientes dos projetos desenvolvidos nos primeiros anos de existência da Discoteca Pública Municipal. Dentre os conjuntos preservados, encontram-se: a coleção da Missão de Pesquisas Folclóricas de 1938; o conjunto documental produzido pela Sociedade de Etnografia e Folclore, criada em 1936; a documentação histórico-administrativa da Discoteca Pública Municipal de 1935 a 1983; os filmes produzidos por Dina e Claude Lévi-Strauss; os registros de Camargo Guarnieri sobre o II Congresso Afro-brasileiro, realizado em Salvador, Bahia, em 1937; as monografias que participaram dos Concursos de Monografia sobre Folclore, promovido pelo Departamento de Cultura; as gravações para o Arquivo da Palavra e os documentos do Congresso Nacional da Língua Cantada de 1937, cuja proposta foi subsidiar estudos no campo da fonética.

Política de uso e acesso

Consulta local.

Normas para consulta de acervo raro

Por agendamento e sob supervisão de um funcionário.

Forma de reprodução

Cópias xerox (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento), Serviço terceirizado, fora das dependências da Discoteca.

Histórico

Concebida em 1935 por Mário de Andrade, enquanto ele esteve à frente do Departamento de Cultura da cidade de São Paulo, a antiga Discoteca Pública Municipal, hoje Discoteca Oneyda Alvarenga, é um centro de informação especializado em música. Localizada nas dependências do Centro Cultural São Paulo, a Discoteca está organizada em três setores: Acervo Sonoro; Acervo Impresso e Acervo Histórico.

Catálogos

Base de dados acessível no local, base de dados acessível na web, fichários, catálogos impressos.

Site

http://centrocultural.cc/discoteca http://www.centrocultural.sp.gov.br/Colecoes_Discoteca.html

Contatos

Rua Vergueiro, nº 1000 – Paraíso São Paulo – SP CEP 01504-000
(+55) 11 3397.4071
discoteca@prefeitura.sp.gov.br

Horário de Atendimento

Terça a Sexta-Feira: das 10h às 20h.
Sábados, Domingos e Feriados: das 10h às 18h.

Equipe

Jéssica Barreto –  Bibliotecária e Coordenadora.

Memorial Denis Bernardes

Instituição

Biblioteca Central – Universidade Federal de Pernambuco.

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs, fitas cassetes. Possui acervo digital.

Áreas principais

Música erudita brasileira contemporânea; música popular de vários países; música erudita e popular de várias épocas, música popular brasileira, rock, rolk, etc. Entrevistas, depoimentos, programas de televisão.

Principais coleções / destaques

Partituras da Banda da Polícia Militar do Recife. Discos de vinil, fitas magnéticas e fitas cassete do Núcleo de TV e Rádios Universitárias. Discos de vinil do ex-professor Álvaro Alves Camello.

Política de uso e acesso

Consulta local.

Normas para consulta de acervo raro

A consulta é realizada mediante agendamento prévio ou imediato, usando luvas.

Forma de reprodução

Cópias digitais, (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Catálogos

Planilhas em Excel.

Contatos

Avenida Professor Moraes Rego, 1235, Cidade Universitária, Recife-PE, CEP: 50670-901
(81) 2126-8088
mdb@ufpe.br

Horário de Atendimento

Das 8h às17h.

Equipe

Tony Bernardino de Macedo (Bibliotecário)
Ana Cláudia Gouveia Araujo (Bibliotecário)
Maurício Rocha de Carvalho (Coordenador Científico)

Biblioteca Central da Universidade de Brasília

Instituição

Universidade de Brasília.

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs, fitas cassetes. Possui apenas acervo físico.

Política de uso e acesso

Parte do acervo é somente para consulta local enquanto outra parte tem o empréstimo restrito a usuários da instituição.

Normas para consulta de acervo raro

O acervo musical é na maior parte restrito a consulta local. Não há necessidade de hora marcada mas os usuários devem respeitar o horário de funcionamento do setor.

Forma de reprodução

Cópias digitais, (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Catálogos

Base de dados acessível na web.

Site

http://www.bce.unb.br/

Contatos

Biblioteca Central – Campus Universitário Darcy Ribeiro, Gleba A
CEP: 70910-900 Brasília – DF, Brasil
(61) 3107-2674;  (61) 3107-2703
agendabce@bce.unb.br

Horário de Atendimento

De segunda a sexta de 7h às 19h.

Equipe

Fernanda Cordeiro de Carvalho – Chefe do setor de Coleções Especiais.

Divisão de Música e Arquivo Sonoro da Fundação Biblioteca Nacional

Instituição

Fundação Biblioteca Nacional

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs, fitas magnéticas (rolo), fitas cassetes. Possui acervo digital.

Áreas principais

Música prática ( popular e erudita) – brasileira e estrangeira.

Principais coleções / destaques

Real Biblioteca – É formada por documentos trazidos para o Rio de Janeiro pela corte portuguesa em 1808. Abrange, dentre outros documentos, livros, partituras, libretos de óperas, livros litúrgicos, missais e tratados.

Thereza Christina Maria – Constituída de obras que pertenceram às imperatrizes D. Leopoldina e D. Thereza Christina. Possui partituras em primeiras edições, além de livros raros e exemplares do periódico Brazil Musical.

Biblioteca Abrahão de Carvalho – Este acervo foi organizado pelo colecionador Abraão de Carvalho (1891-1970) e adquirido por lei do Congresso Federal para a Biblioteca Nacional na década de 1950. Entre as raridades, obras do teórico do século XVI, compositor e filósofo Gioseffo Zarlino (1517-1590); tratados de Jean Philippe Rameau (1683-1764) e de Francisco Ignácio Solano (c.1720-1800); sacerdote Domingos do Rosário (+c. 1778) e primeiras edições de composições de Franz Liszt (1811-1886). Alguns exemplares desta Coleção pertenceram ao editor e pianista Arthur Napoleão (1843-1925).

Normas para consulta de acervo raro

A consulta ao acervo raro é permitida, respeitando as normas de preservação e conservação. As obras já digitalizadas e microfilmadas têm o original preservado, consulta nos suportes de segurança. A consulta a originais raros requer uso de luvas e máscaras.

Forma de reprodução

Cópias digitais, (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento), Microfilme, respeitando a Lei de Direitos Autorais, vigente.

Histórico

A Divisão de Música e Arquivo Sonoro foi criada pelo decreto 48.108, de 13 de abril de 1950, por iniciativa do então diretor e escritor Eugênio Gomes, a partir de fundos preciosos – notadamente, livros raros e partituras, extraídos da coleção geral da Biblioteca Nacional pela bibliotecária Mercedes Reis Pequeno (que chefiou a Divisão, desde sua abertura em 1952 até 1990, quando se aposentou). Com mais de 250 mil títulos, é o maior centro de documentação musical da América Latina. Sua base principal foi formada pela Coleção Real Biblioteca trazida para o Rio de Janeiro pela corte portuguesa em 1808, com obras da Real Biblioteca, de Lisboa e da Biblioteca do Infantado; Coleção Thereza Christina Maria, doada por D. Pedro II; Coleção que pertenceu a Imperatriz Leopoldina, as primeiras edições de partituras de Mozart e Haydn. Dentre as diversas coleções incorporadas ao acervo, por compra, destaca-se pela sua dimensão e valor intrínseco a Coleção Abrahão de Carvalho, com mais de dezenove mil títulos (entre livros sobre teoria e história da música, manuais de liturgia católica, partituras impressas, manuscritos musicais, programas de concertos, libretos e periódicos musicais). A coleção discográfica inclui a série de clássicos estrangeiros e autores brasileiros.

Catálogos

Base de dados acessível no local, Base de dados acessível na web, Fichários.

Site

http://www.bn.br

Contatos

Rua da Imprensa, 16 – 3º andar 20030-120 Castelo Rio de Janeiro (RJ)
(21) 22201539
dimas@bn.gov.br

Horário de Atendimento

Segunda-feira a Sexta-feira, das 10h as 18h.

Equipe

Elizete Higino  – Chefe Divisão de Música e Arquivo Sonoro

Biblioteca Central Santa Mônica

Instituição

Universidade Federal de Uberlândia – UFU

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs, fitas cassetes. Somente acervo físico.

Áreas principais

Música erudita brasileira e em geral; música popular de vários países; música erudita e popular de épocas variadas.

Principais coleções / destaques

Coleção Jodacil Damaceno.

Acervo do compositor Calimerio Soares.

Política de uso e acesso

Empréstimo restrito a usuários da própria instituição (alunos, servidores e professores).

Normas para consulta de acervo raro

Acesso livre para consulta e empréstimo restrito a usuários da própria instituição (alunos, servidores e professores).

Forma de reprodução

Cópias xerox (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento). Cópias digitais, (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Histórico

A Biblioteca da Universidade Federal de Uberlândia foi criada em 1976, com a junção dos acervos bibliográficos de oito faculdades isoladas da cidade, cuja incorporação foi concluída em 1978. Em 1989, foi criado o Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal de Uberlândia (SISBI/UFU), centralizando todas as atividades de aquisição e processamento técnico. Esta biblioteca é denominada Biblioteca Central Santa Mônica por concentrar a administração superior do SISBI/UFU e os setores que desenvolvem os serviços internos, tais como: seleção, aquisição, preparo, catalogação, classificação e tratamento de todo material informacional adquirido para as bibliotecas do SISBI/UFU. O acervo de partituras e correlatos fica alocado nesta biblioteca, no Setor de Referencia / mais especificamente, na parte destinada aos Multimeios e Coleções Especiais. A maior concentração da coleção se encontra na área erudita, favorecendo instrumentos como piano e violino. As partituras são organizadas em pastas, por instrumento e por ordem alfabética do compositor.

Catálogos

Base de dados acessível no local, Base de dados acessível na web.

Site

http://babao.dr.ufu.br:8080/

Contatos

Av. João Naves de Ávila, 2121 – Bloco 3C – CEP: 38400-902 – Uberlândia/MG
(34) 3239-4225 – Geral
(34) 3239-4255 – Multimeios e Coleções Especiais
(34) 3239-4257 – Catalogação
Fax: (34) 3239-4267

dirbi@dirbi.ufu.br

Horário de Atendimento

Segunda a Sexta: 7h30 às 10h30
Sábado: 08h00 às 12h00

Equipe

Paulo Agenor
Ricardo Finotti

Biblioteca Mercedes Reis Pequeno da Academia Brasileira de Música

Instituição

Academia Brasileira de Música.

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs, documentos históricos. Acervo físico.

Áreas principais

Música erudita.

Principais coleções / destaques

Coleção Mercedes Reis Pequeno – Livros e documentos (correspondência com: Charles Seeger, Luis Heitor Corrêa de Azevedo, Cleofe Person de Mattos, Basílio Itiberê, entre outros; fotografias, discos e recortes de jornais). Coleção de documentos sobre a Academia Brasileira de Música, patronos, fundadores e acadêmicos.

image_large

Política de uso e acesso

Consulta local.

Normas para consulta de acervo raro

A consulta ao acervo é realizada somente na biblioteca, com hora marcada, sob a supervisão dos funcionários e com o uso de luvas.

Forma de reprodução

Cópias digitais, (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Histórico

A Academia Brasileira de Música foi fundada em 14 de julho de 1945 por Heitor Villa-Lobos e através do Decreto Federal 23.160 de 06 de junho de 1947 foi considerada um órgão técnico-consultivo do governo federal. A Biblioteca foi inaugurada no dia 3 de julho de 2015 e recebeu o nome de Biblioteca Mercedes Reis Pequeno que homenageia a bibliotecária e acadêmica ocupante da cadeira nº 7, pioneira no Brasil na organização de bibliotecas da área de música. Com um acervo de cerca de 8.000 obras divididas entre livros, teses, periódicos, partituras, documentos textuais, fotografias, recortes de jornais e programas de concerto, a biblioteca disponibiliza ao público um catálogo online, elaborado no Sistema Biblivre, e que permite o acesso livre aos interessados. A base de dados utilizada, intitulada Brasiliana, será tanto referencial como digital.

Catálogos

Base de dados acessível no local. Listagem por assunto.

Site

http://www.abmusica.org.br/index.php

Contatos

Rua da Lapa, 120/12º andar Lapa – 20021-180 – Rio de Janeiro – RJ / Brasil
(55) (21) 2292-5845 / 2221-0277 / 2242-6693
bibliotecaabm@abmusica.org.br

Horário de Atendimento

Necessário agendar pesquisa por e-mail: bibliotecaabm@abmusica.org.br.

Equipe

André Cardoso – Presidente da Academia Brasileira de Música

Valéria Peixoto – Diretora executiva

Dolores Castorino Brandão – Bibliotecária responsável

Biblioteca do Instituto de Artes, Unesp

Instituição

Instituto de Artes, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp)

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs. Possui acervo digital.

Principais coleções / destaques

Acervo Fúrio Franceschini

Política de uso e acesso

Empréstimo restrito a usuários da própria instituição.

Normas para consulta de acervo raro

A Consulta a acervos especiais como o Acervo Fúrio Franceschini é realizada somente na biblioteca, sob as orientações dos funcionários e com o uso de luvas.

Forma de reprodução

Cópias xerox (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Histórico

Podemos considerar que a Biblioteca do Instituto de Artes da Unesp, iniciou-se no ano de 1976 quando, junto com os Institutos isolados de Ensino Superior Oficiais do Governo do Estado de São Paulo, constituiu-se o Instituto de Artes, com a Faculdade de Música “Maestro Julião” vindo a integrar a recém-criada Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Unesp. O processo de informatização iniciou-se no ano de 1996, com o software Microisis que funcionou até 2002, quando a Rede de Bibliotecas da Unesp passou a utilizar o software Aleph, criando-se a base Athena. Em 2009 o Instituto de Artes mudou-se para suas novas instalações localizado à rua Dr. Bento Teobaldo Ferraz, nº 271, Várzea da Barra Funda, situando a Biblioteca no 4º andar numa área total de 492 m².

Catálogos

Base de dados acessível na web.

Site

http://www.ia.unesp.br/#!/biblioteca/inicial/
Contatos

Rua Dr Bento Teobaldo Ferraz, 271
Bairro: Barra Funda 01140-070 – São Paulo, SP

bia.diretoria@ia.unesp.br – Diretoria
straud@ia.unesp.br – Atendimento ao usuário
stati@ia.unesp.br – Processamento técnico

Horário de Atendimento

Período letivo: 2ª a 6ª : 8h10 às 21h30, Sábado : 9h às 13h
Recesso: 2ª a 6ª: 8h10 às 11h50 e 13h10 às 16h50.

Equipe

Sebastiana Freschi, Diretora
Fabiana Colares, Supervisora da Seção de atendimento ao Usuário
Lucia Silva Parra, Supervisora da Seção de Processamento Técnico
Mariana Borges Gasparino, Bibliotecária
Juracy Pinheiro, Bibliotecária
Assistentes de Serviço de Documentação, Informação e Pesquisa: Clarissa
Garcia Eleutério, Marcia Hideko Tanaka, Odair P. de Jesus e Paulo Bernal
Filho

 

Biblioteca Setorial Especializada em Música Pe. Jaime Diniz

Instituição

Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Acervo de documentos musicais

Partituras, discos em vinil, CDs, DVDs. Acervo físico e digital.

Áreas principais

Música erudita e popular de todas as épocas e países.

foto

Política de uso e acesso

Empréstimo restrito a usuários da própria instituição.

Forma de reprodução

Cópias xerox (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Histórico

Criada em 1969 na gestão da Professora Maria Luiza Parente, a Biblioteca da Escola de Música contou com a colaboração das bibliotecárias Zila Mamede e Sônia Campos. Com a inauguração do prédio atual da Escola de Música na UFRN, em 1991, e posteriormente a criação dos cursos de Bacharelado e Técnico em Música, sentiu-se a necessidade de reestruturar a biblioteca. Com isso, em 2000, a Biblioteca foi reimplantada pela bibliotecária Elizabeth Sachi Kanzaki, tendo na direção da Escola de Música o professor André Muniz de Oliveira. A partir desta data passa a pertencer ao Sistema de Bibliotecas da UFRN – SISB, coordenado pela Biblioteca Central “Zila Mamede”. A Biblioteca recebe o nome do Professor Pe. Jaime Cavalcanti Diniz, que foi compositor, regente, musicólogo, professor da EMUFRN, fundador e regente do Madrigal da UFRN.

Catálogos

Base de dados acessível na web.

Site

http://bibliotecaemufrn.blogspot.com.br/

Contatos

Av. Passeio dos Girassóis, s/n.
Campus Universitário – Lagoa Nova
Natal/RN | CEP: 59078-190
(84) 3342-2229 [opção 3]
biblioteca.emufrn@gmail.com

Horário de Atendimento

De segunda a sexta-feira, das 8h às 22h.

Equipe

Coordenação geral da Biblioteca: Elizabeth Sachi Kanzaki.
Coordenação do Setor de Processamento Técnico: Everton Rodrigues Barbosa.
Coordenação do Setor de Atendimento ao Usuário, Referência e Circulação: Audinêz  Barreto Araújo.
Apoio técnico e administrativo: Camilo Soares Leite de Lima; David Barbalho Pereira; Monique de Melo Borges.
 

Biblioteca Alberto Nepomuceno

Instituição

Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs. Acervo físico.

bibliotecapanoramica

Áreas principais

Música erudita a partir do Século XVI.

Principais coleções / destaques

O valioso acervo da BAN é estimado em aproximadamente 150 mil obras reunindo partituras manuscritas e autógrafas, partituras impressas, obras raras a partir do século XVI, documentos históricos, coleções de periódicos, livros, teses, acervo iconográfico e o acervo fonográfico. Destaques:

  • Manuscritos autógrafos dos principais compositores brasileiros dos séculos XVII a XIX:  aproximadamente 40 mil volumes. Dentre os compositores com presença marcante no acervo destacamos: Francisco Manoel da Silva (1795-1865), cujo o manuscrito original do Hino Nacional Brasileiro, pertence ao acervo, Leopoldo Miguez, Henrique Oswald, Alberto Nepomuceno, Francisco Braga, Carlos Gomes,Villa-Lobos Francisco Mignone e Luciano Gallet, constituindo um verdadeiro painel da história da música no Brasil;
  • Manuscritos do Padre José Maurício Nunes Garcia – A BAN é detentora da maior coleção de manuscritos autógrafos e de cópias manuscritas da obra do compositor, vindo esta a constituir a principal coleção da Biblioteca;
  • Manuscritos do Real Theatro São João/ Imperial Theatro São Pedro de Alcântara; . Coleção de obras raras da BAN a partir do século XVI;
  • Acervo Cleofe Person de Mattos;
  • Acervo de Documentos Históricos.

Política de uso e acesso

Consulta local.

Forma de reprodução

Cópias digitais, respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento.

Histórico

A Biblioteca Alberto Nepomuceno, a primeira biblioteca especializada em música no Brasil, é um dos principais repositórios de documentos musicais que guardam parte significativa da memória musical brasileira. Sua história se funde com a história da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro,fundado em 1848 por Francisco Manoel da Silva, que, por sua vez, se funde com a própria história da música no Brasil. A formação inicial do acervo da biblioteca pode ser levantada através de seu livro de registro mais antigo, datado de 1891, isto porque, ao se dar início ao registro das obras, são assinaladas, no mesmo livro, aquelas oriundas do Conservatório. Cumpria-se assim o decreto nº. 143 que, ao extinguir o Conservatório e criar o Instituto Nacional de Música, incorporava ao novo Instituto todo o acervo bibliográfico do antigo Conservatório. Incluía-se no decreto o valioso acervo, constituído das 280 partituras, em sua maior parte manuscritas, provenientes dos acervos do Imperial Teatro São Pedro de Alcântara, de outros teatros brasileiros e de sociedades musicais.

Catálogos

Base de dados acessível no local, base de dados acessível na web e fichários.

Site

Biblioteca Digital da Escola de Música da UFRJ: http://www.musica.ufrj.br

Base Minerva: www.minerva.ufrj.br

Contatos

Rua do Passeio, 98 – Centro Cep: 20021-290 – Rio de Janeiro – RJ

+55 21 22401591

biblioteca@musica.ufrj.br

Horário de Atendimento

De segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Equipe

Chefia e Setor de Aquisição: Dolores Brandão
Setor de Setor de Referência e Setor de Partituras Impressas: Suelen de Oliveira Dias Setor de Circulação e Empréstimo:  Carlos Alberto Moreira
Responsável: Ailton Francisco da Silva
Partituras: Sonia Maria Leite Albuquerque
Setor de Livros, Periódicos e Teses: Selma Coimbra Rodrigues Seraine
Setor de Partituras Manuscritas: Maria Luisa Nery de Carvalho
Setor de Documentos Históricos Elizabeth Damasceno Marta Lisboa