Biblioteca Mercedes Reis Pequeno da Academia Brasileira de Música

Instituição

Academia Brasileira de Música.

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs, documentos históricos. Acervo físico.

Áreas principais

Música erudita.

Principais coleções / destaques

Coleção Mercedes Reis Pequeno – Livros e documentos (correspondência com: Charles Seeger, Luis Heitor Corrêa de Azevedo, Cleofe Person de Mattos, Basílio Itiberê, entre outros; fotografias, discos e recortes de jornais). Coleção de documentos sobre a Academia Brasileira de Música, patronos, fundadores e acadêmicos.

image_large

Política de uso e acesso

Consulta local.

Normas para consulta de acervo raro

A consulta ao acervo é realizada somente na biblioteca, com hora marcada, sob a supervisão dos funcionários e com o uso de luvas.

Forma de reprodução

Cópias digitais, (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Histórico

A Academia Brasileira de Música foi fundada em 14 de julho de 1945 por Heitor Villa-Lobos e através do Decreto Federal 23.160 de 06 de junho de 1947 foi considerada um órgão técnico-consultivo do governo federal. A Biblioteca foi inaugurada no dia 3 de julho de 2015 e recebeu o nome de Biblioteca Mercedes Reis Pequeno que homenageia a bibliotecária e acadêmica ocupante da cadeira nº 7, pioneira no Brasil na organização de bibliotecas da área de música. Com um acervo de cerca de 8.000 obras divididas entre livros, teses, periódicos, partituras, documentos textuais, fotografias, recortes de jornais e programas de concerto, a biblioteca disponibiliza ao público um catálogo online, elaborado no Sistema Biblivre, e que permite o acesso livre aos interessados. A base de dados utilizada, intitulada Brasiliana, será tanto referencial como digital.

Catálogos

Base de dados acessível no local. Listagem por assunto.

Site

http://www.abmusica.org.br/index.php

Contatos

Rua da Lapa, 120/12º andar Lapa – 20021-180 – Rio de Janeiro – RJ / Brasil
(55) (21) 2292-5845 / 2221-0277 / 2242-6693
bibliotecaabm@abmusica.org.br

Horário de Atendimento

Necessário agendar pesquisa por e-mail: bibliotecaabm@abmusica.org.br.

Equipe

André Cardoso – Presidente da Academia Brasileira de Música

Valéria Peixoto – Diretora executiva

Dolores Castorino Brandão – Bibliotecária responsável

Biblioteca do Instituto de Artes, Unesp

Instituição

Instituto de Artes, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp)

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs. Possui acervo digital.

Principais coleções / destaques

Acervo Fúrio Franceschini

Política de uso e acesso

Empréstimo restrito a usuários da própria instituição.

Normas para consulta de acervo raro

A Consulta a acervos especiais como o Acervo Fúrio Franceschini é realizada somente na biblioteca, sob as orientações dos funcionários e com o uso de luvas.

Forma de reprodução

Cópias xerox (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Histórico

Podemos considerar que a Biblioteca do Instituto de Artes da Unesp, iniciou-se no ano de 1976 quando, junto com os Institutos isolados de Ensino Superior Oficiais do Governo do Estado de São Paulo, constituiu-se o Instituto de Artes, com a Faculdade de Música “Maestro Julião” vindo a integrar a recém-criada Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Unesp. O processo de informatização iniciou-se no ano de 1996, com o software Microisis que funcionou até 2002, quando a Rede de Bibliotecas da Unesp passou a utilizar o software Aleph, criando-se a base Athena. Em 2009 o Instituto de Artes mudou-se para suas novas instalações localizado à rua Dr. Bento Teobaldo Ferraz, nº 271, Várzea da Barra Funda, situando a Biblioteca no 4º andar numa área total de 492 m².

Catálogos

Base de dados acessível na web.

Site

http://www.ia.unesp.br/#!/biblioteca/inicial/
Contatos

Rua Dr Bento Teobaldo Ferraz, 271
Bairro: Barra Funda 01140-070 – São Paulo, SP

bia.diretoria@ia.unesp.br – Diretoria
straud@ia.unesp.br – Atendimento ao usuário
stati@ia.unesp.br – Processamento técnico

Horário de Atendimento

Período letivo: 2ª a 6ª : 8h10 às 21h30, Sábado : 9h às 13h
Recesso: 2ª a 6ª: 8h10 às 11h50 e 13h10 às 16h50.

Equipe

Sebastiana Freschi, Diretora
Fabiana Colares, Supervisora da Seção de atendimento ao Usuário
Lucia Silva Parra, Supervisora da Seção de Processamento Técnico
Mariana Borges Gasparino, Bibliotecária
Juracy Pinheiro, Bibliotecária
Assistentes de Serviço de Documentação, Informação e Pesquisa: Clarissa
Garcia Eleutério, Marcia Hideko Tanaka, Odair P. de Jesus e Paulo Bernal
Filho

 

Biblioteca Carlos Barbosa do Instituto de Artes

Instituição

Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, CDs, DVDs. Acervo físico.

Áreas principais

Música erudita brasileira e internacional e óperas.

Principais coleções / destaques

Música Popular e Folclore.

Política de uso e acesso

Empréstimo restrito a usuários da própria instituição.

Normas para consulta de acervo raro

Não possuímos acervo raro significativo na área de Música.

Forma de reprodução

Cópias xerox (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Histórico

Embora não se tenha localizado nenhum registro oficial quanto à criação da Biblioteca Carlos Barbosa, é sabido que sua existência acha-se ligada à trajetória do Instituto de Belas Artes do Rio Grande do Sul. Segundo informação encontrada na Coleção Especial (CE) Memória do Instituto de Artes, da Biblioteca do IA, a revista “Acrópole” em seu número de outubro publicou o seguinte: Inaugurou-se a 1º de Julho de 1943, com a presença das altas autoridades civis, militares e eclesiásticas, representantes das entidades culturais, educacionais e científicas, das classes sociais e intelectuais, corpos docente e discente do Instituto, legionários e imprensa, o novo Edifício do Instituto de Belas Artes do Rio Grande do Sul […]. (Inauguração do Novo Edifício : 1º de julho de 1943. Porto Alegre: Oficina Gráfica da Livraria do Globo, 1943. P. 34). E segue descrevendo as dependências do novo edifício: Impressiona tanto o conjunto de belo efeito arquitetônico, como suas dependências. Já de entrada, precedido pelo vasto hall, o auditório “Tasso Corrêa” […]. Seguem-se o primeiro andar, com as galerias, foyer e Sala de exposição; o segundo, ocupado pelas instalações da Secretaria, direção e Biblioteca e os subsequentes, com as várias divisões do Instituto por secções de ensino. (Inauguração do Novo Edifício : 1º de julho de 1943. Porto Alegre: Oficina Gráfica da Livraria do Globo, 1943. P. 35). Já o nome da Biblioteca supõe-se ter sido escolhido em homenagem ao então governador do Estado, Dr. Carlos Barbosa Gonçalves.

Catálogos

Base de dados acessível na web.

Site

http://http://www.ufrgs.br/bibart/ https://www.facebook.com/bibliotecacarlosbarbosa.bibartufrgs

Contatos

Rua Senhor dos Passos, 248. 2º Andar CEP 90020-180 Centro Porto Alegre, RS
Telefones: Atendimento (51) 3308 4308 e Chefia (51) 3308 4307
Email: bibart@ufrgs.br

Horário de Atendimento

Segunda a quinta das 8h às 21h

Sexta das 8h às 20h.

Equipe

Jacqueline da Silva Niehues – Bibliotecária chefe (catalogação de livros e trabalhos acadêmicos).
Maína Rymsza – Bibliotecária (catalogação de periódicos; Comut).
Mara R. B. Machado – Bibliotecária (catalogação de materiais especiais: partituras, CDs, DVDs.
Fernando Leite Rodrigues; Rosane Mesquita e Susana Piñero – Apoio técnico e administrativo.

 

 

Biblioteca Setorial Especializada em Música Pe. Jaime Diniz

Instituição

Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Acervo de documentos musicais

Partituras, discos em vinil, CDs, DVDs. Acervo físico e digital.

Áreas principais

Música erudita e popular de todas as épocas e países.

foto

Política de uso e acesso

Empréstimo restrito a usuários da própria instituição.

Forma de reprodução

Cópias xerox (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Histórico

Criada em 1969 na gestão da Professora Maria Luiza Parente, a Biblioteca da Escola de Música contou com a colaboração das bibliotecárias Zila Mamede e Sônia Campos. Com a inauguração do prédio atual da Escola de Música na UFRN, em 1991, e posteriormente a criação dos cursos de Bacharelado e Técnico em Música, sentiu-se a necessidade de reestruturar a biblioteca. Com isso, em 2000, a Biblioteca foi reimplantada pela bibliotecária Elizabeth Sachi Kanzaki, tendo na direção da Escola de Música o professor André Muniz de Oliveira. A partir desta data passa a pertencer ao Sistema de Bibliotecas da UFRN – SISB, coordenado pela Biblioteca Central “Zila Mamede”. A Biblioteca recebe o nome do Professor Pe. Jaime Cavalcanti Diniz, que foi compositor, regente, musicólogo, professor da EMUFRN, fundador e regente do Madrigal da UFRN.

Catálogos

Base de dados acessível na web.

Site

http://bibliotecaemufrn.blogspot.com.br/

Contatos

Av. Passeio dos Girassóis, s/n.
Campus Universitário – Lagoa Nova
Natal/RN | CEP: 59078-190
(84) 3342-2229 [opção 3]
biblioteca.emufrn@gmail.com

Horário de Atendimento

De segunda a sexta-feira, das 8h às 22h.

Equipe

Coordenação geral da Biblioteca: Elizabeth Sachi Kanzaki.
Coordenação do Setor de Processamento Técnico: Everton Rodrigues Barbosa.
Coordenação do Setor de Atendimento ao Usuário, Referência e Circulação: Audinêz  Barreto Araújo.
Apoio técnico e administrativo: Camilo Soares Leite de Lima; David Barbalho Pereira; Monique de Melo Borges.
 

Biblioteca Alberto Nepomuceno

Instituição

Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs. Acervo físico.

bibliotecapanoramica

Áreas principais

Música erudita a partir do Século XVI.

Principais coleções / destaques

O valioso acervo da BAN é estimado em aproximadamente 150 mil obras reunindo partituras manuscritas e autógrafas, partituras impressas, obras raras a partir do século XVI, documentos históricos, coleções de periódicos, livros, teses, acervo iconográfico e o acervo fonográfico. Destaques:

  • Manuscritos autógrafos dos principais compositores brasileiros dos séculos XVII a XIX:  aproximadamente 40 mil volumes. Dentre os compositores com presença marcante no acervo destacamos: Francisco Manoel da Silva (1795-1865), cujo o manuscrito original do Hino Nacional Brasileiro, pertence ao acervo, Leopoldo Miguez, Henrique Oswald, Alberto Nepomuceno, Francisco Braga, Carlos Gomes,Villa-Lobos Francisco Mignone e Luciano Gallet, constituindo um verdadeiro painel da história da música no Brasil;
  • Manuscritos do Padre José Maurício Nunes Garcia – A BAN é detentora da maior coleção de manuscritos autógrafos e de cópias manuscritas da obra do compositor, vindo esta a constituir a principal coleção da Biblioteca;
  • Manuscritos do Real Theatro São João/ Imperial Theatro São Pedro de Alcântara; . Coleção de obras raras da BAN a partir do século XVI;
  • Acervo Cleofe Person de Mattos;
  • Acervo de Documentos Históricos.

Política de uso e acesso

Consulta local.

Forma de reprodução

Cópias digitais, respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento.

Histórico

A Biblioteca Alberto Nepomuceno, a primeira biblioteca especializada em música no Brasil, é um dos principais repositórios de documentos musicais que guardam parte significativa da memória musical brasileira. Sua história se funde com a história da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro,fundado em 1848 por Francisco Manoel da Silva, que, por sua vez, se funde com a própria história da música no Brasil. A formação inicial do acervo da biblioteca pode ser levantada através de seu livro de registro mais antigo, datado de 1891, isto porque, ao se dar início ao registro das obras, são assinaladas, no mesmo livro, aquelas oriundas do Conservatório. Cumpria-se assim o decreto nº. 143 que, ao extinguir o Conservatório e criar o Instituto Nacional de Música, incorporava ao novo Instituto todo o acervo bibliográfico do antigo Conservatório. Incluía-se no decreto o valioso acervo, constituído das 280 partituras, em sua maior parte manuscritas, provenientes dos acervos do Imperial Teatro São Pedro de Alcântara, de outros teatros brasileiros e de sociedades musicais.

Catálogos

Base de dados acessível no local, base de dados acessível na web e fichários.

Site

Biblioteca Digital da Escola de Música da UFRJ: http://www.musica.ufrj.br

Base Minerva: www.minerva.ufrj.br

Contatos

Rua do Passeio, 98 – Centro Cep: 20021-290 – Rio de Janeiro – RJ

+55 21 22401591

biblioteca@musica.ufrj.br

Horário de Atendimento

De segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Equipe

Chefia e Setor de Aquisição: Dolores Brandão
Setor de Setor de Referência e Setor de Partituras Impressas: Suelen de Oliveira Dias Setor de Circulação e Empréstimo:  Carlos Alberto Moreira
Responsável: Ailton Francisco da Silva
Partituras: Sonia Maria Leite Albuquerque
Setor de Livros, Periódicos e Teses: Selma Coimbra Rodrigues Seraine
Setor de Partituras Manuscritas: Maria Luisa Nery de Carvalho
Setor de Documentos Históricos Elizabeth Damasceno Marta Lisboa

Biblioteca Flausino Vale

Instituição

Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG.

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs, fitas cassetes. Acervo físico.

musica

Áreas principais

Música erudita e popular de todas as épocas e países, óperas, hinos, música sacra.

Principais coleções / destaques

Coleção de orquestra completas (com partes e grades).
Ópera Tiradentes.
Coleção Memória (obras de professores e alunos da Escola de Música -UFMG).

Política de uso e acesso

Empréstimo restrito a usuários com vínculo institucional com a UFMG. O acesso ao acervo para consulta está disponível ao público em geral.

Normas para consulta de acervo raro

A consulta de materiais especiais (discos de vinil, fitas VHS, CDs) e material de orquestra é sempre feita sob a supervisão de um funcionário da biblioteca.

Forma de reprodução

Cópias xerox (respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento).

Histórico

A Biblioteca da Escola de Música Reúne em seu acervo materiais especiais como partituras musicais, CDs, discos vinil, fitas de vídeo além de monografias teses, folhetos e periódicos específicos de música. É a única Biblioteca no Estado de Minas Gerais, aberta ao público, que abriga um acervo específico de obras musicais.

Catálogos

Base de dados acessível na web.

Site

http://www.musica.ufmg.br/biblioteca.html

Contatos

Escola de Música – UFMG
Campus Pampulha – Av. Antônio Carlos, 6627
Cep:31270 – 010 – Belo Horizonte – MG

site: http://www.musica.ufmg.br/biblioteca.html

Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100006606465652

Setor de Referência: (31) 3409.4712
Processamento Técnico: (31) 3409.4758

Horário de atendimento

De segunda a sexta-feira, das 7h30 às 21h.

Equipe

Bibliotecários:
Kátia Lúcia Pacheco (Chefia)
Rachel Mariana Mateus de Oliveira (Processamento Técnico)
Felipe Lopes Alves (Referência)

Auxiliares:
Jorge Costa Vila Real
Valdete Lopes
Marilene Costa

CDMC – Coordenação de Documentação de Música Contemporânea

Instituição

Centro de Integração, Documentação e Difusão Cultural (CIDDIC) da Universidade Estadual de Campinas – Unicamp.

Acervo de documentos musicais

Partituras, partituras manuscritas, discos em vinil, CDs, DVDs, fitas magnéticas (rolo), fitas cassetes. Acervo físico.

cdmc_marilia_vasconcellos_(27)

Áreas principais

Música erudita contemporânea nacional e internacional.

Principais coleções / destaques

Coleção Almeida Prado; Coleção Beatriz Balzi; Coleção Dinorah de Carvalho e obras do CDMC-Paris.

Política de uso e acesso

Empréstimo restrito a usuários da própria instituição.  Tanto as partituras quanto as obras gravadas podem ser consultadas publicamente das 9:00hs às 17:00hs.

Normas para consulta de acervo raro

Vista técnica com a bibliotecária no acervo.

Forma de reprodução

Copias xerox e cópias digitais, respeitando a legislação vigente e estado de conservação do documento.

Histórico

O CDMC-Brasil foi inaugurado em setembro de 1989 na Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, no âmbito do programa de cooperação cultural Projeto Brasil-França (Années France-Brésil) de 1985 a 1989. Trata-se de um convênio para a manutenção no Brasil de uma filial da Coordenação de Documentação de Música Contemporânea (CDMC), formado pelo Ministério da Cultura e da Comunicação, Radio França e SACEM – Société des Auteurs, Compositeurs et Editeurs de Musique, tendo sua sede na Cité de la Musique, em Paris, e como Diretora, Marianne Lyon. Através desse convênio a Unicamp formou um acervo de cerca de 6.000 partituras de música contemporânea do século XX com obras dos mais relevantes compositores internacionais. Nos anos 2000 iniciou-se também a construção do acervo de música brasileira do século XX e XXI, hoje contando com cerca de 3.500 partituras de 300 compositores. O acervo conta também com Cds de música contemporânea nacional e internacional.

Catálogos

Base de dados acessível no local.

Site

http://www.ciddic.unicamp.br/sobre_cdmc.php

Contatos

Centro de Integração, Documentação e Difusão Cultural – CIDDIC.
Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.
Biblioteca Central – Piso Térreo.
Rua Sérgio Buarque de Holanda, nº 421 -Barão Geraldo.
CEP 13083-859 Campinas, SP.

site: http://www.ciddic.unicamp.br/sobre_cdmc.php

(19) 3521-6533
(19) 3521-6734

fabenine@unicamp.br

Horário de atendimento

De segunda à Sexta-Feira das 9:00 às 17:00

Equipe

Fabiana Benine – Bibliotecária